Novo CrossFox chega Repleto de Tecnologia e Recursos de Segurança Novo CrossFox chega Repleto de Tecnologia e Recursos de Segurança CrossFox chega Repleto de Tecnologia

Novo CrossFox chega Repleto de Tecnologia e Recursos de Segurança

Salvador, 28/10/2014 - O Novo Fox chegou ao mercado nacional em agosto como o veículo com mais recursos de tecnologia de seu segmento. Agora é a vez de o Novo CrossFox estabelecer um novo patamar de recursos de tecnologia e segurança em sua categoria. O modelo começa a chegar nos próximos dias às mais de 600 concessionárias da Volkswagen. Fabricado em São José dos Pinhais (PR), o Novo CrossFox passa a trazer a evolução do design mundial da marca e oferece ainda mais recursos de segurança e conforto.

Novo CrossFox se destaca pela elegância e personalidade

O modelo CrossFox foi introduzido no mercado em 2005 com um conceito que unia características “Off-road” à funcionalidade, espaço e versatilidade, em um conjunto que logo se tornou referência no mercado.

O Novo CrossFox mantém o espírito aventureiro e a funcionalidade originais do modelo, e segue a evolução desse consumidor, que permanece fiel ao conceito do modelo esportivo compacto, mas deseja um carro mais elegante e confortável.

Em relação ao Novo Fox, o Novo CrossFox é mais alto – por causa da suspensão elevada e dos pneus com maior flanco – e comprido (graças ao estepe alocado na tampa traseira). Além disso, o Novo CrossFox ostenta elementos de estilo exclusivos e estreia uma série de inovações em seu segmento.

Aventura e robustez com a evolução do design global

A característica mais marcante no desenho dianteiro do Novo CrossFox são os faróis, mais inclinados. Agora, uma linha cromada horizontal divide toda a frente do veículo, tangenciando a parte inferior dos faróis, característica adotada também no Novo Golf.

Outro destaque da personalidade aventureira do Novo CrossFox é a exclusiva grade dianteira com friso cromado e a inscrição do modelo. O para-choque dianteiro possui desenho exclusivo, com a ampla abertura de ventilação, ladeada pelos dois grandes faróis auxiliares, agora em formato retangular.

Nas laterais, os destaques são as molduras com insertos em “chrome effect” e as molduras das caixas de rodas. As rodas “Soul” são de liga leve, com 15 polegadas. Seus pneus são nas medidas 205/60 R15. O perfil mais alto do CrossFox é ressaltado, também, pelas barras longitudinais no teto que se estendem sobre todo o teto do carro.

Na traseira, destaque para as lanternas, que estão maiores em comparação ao modelo anterior (e agora em posição horizontal). O novo conjunto ótico passa a ser duplo e dividido entre a lateral do veículo e a tampa do porta-malas. As lanternas são escurecidas no Novo CrossFox, ressaltando a esportividade e a identidade noturna característica dos modelos Volkswagen.

O para-choque traseiro também é totalmente novo e incorpora retrorrefletores na parte inferior. A inscrição do modelo aparece em baixo relevo sobre uma barra protetora em “chrome effect”. Do lado oposto ao nome do carro, aparece o desenho de uma raposa, alusiva ao modelo aventureiro. Destaque também para o defletor na tampa do porta-malas na cor do veículo.

Isso sem falar no estepe traseiro, que conta com o sistema de abertura e fechamento mais moderno da categoria. Destaque para o acabamento em “chrome effect”, que compõe o braço articulado no estepe.

O Novo CrossFox chega também com novidades na oferta de cores: as tonalidades Vermelho Opera, Prata Lunar, Azul Night e a inédita Laranja Sahara estreiam na linha 2015 do modelo aventureiro.

Cabine sofisticada

No interior do Novo CrossFox, os materiais usados no painel e em outras superfícies plásticas internas têm textura especialmente desenvolvida, agradável tanto aos olhos como ao toque.

Exclusividade do modelo, a pedaleira tem acabamento de alumínio e as soleiras internas trazem o logotipo CrossFox. Os bancos são revestidos de tecido com embossagem denominado malharia “Kecil” cinza e também trazem a inscrição Cross nos bancos dianteiros. Opcionalmente, o Novo CrossFox pode ter os bancos com revestimento em “Native”.

A suspensão do Novo CrossFox é elevada em comparação à do Novo Fox. O modelo possui acerto específico de geometria de suspensão. Ao todo, o CrossFox é 4,8 centímetros (até o teto) mais alto e 18,5 cm mais comprido (por causa do estepe posicionado na tampa traseira) do que o Novo Fox Highline.

As bitolas dianteiras do CrossFox também têm medidas diferentes, em relação às demais versões do Fox. Isso ocorre porque o modelo aventureiro utiliza pneus maiores, de perfil mais alto. No Novo CrossFox, as rodas “Soul” de 15” são equipadas com pneus 205/60 e as rodas “Country” de 16” são calçadas com pneus 195/55.

Completo de série, repleto de tecnologia

Modelo topo de linha, o Novo CrossFox será oferecido exclusivamente com o novo motor 1.6 MSI, da família EA211, de até 120 cv (etanol). Posicionada acima da versão Highline do Novo Fox, a novidade traz de série o novo câmbio manual de seis marchas e conta ainda com a opção da transmissão automatizada I-Motion com a versão 2 de aplicação do software de gerenciamento eletrônico, que proporciona trocas de marcha ainda mais suaves e precisas.

Entre os destaques está o sistema TC (M-ABS) Traction Control ou Controle de tração que tem a função de reduzir o escorregamento das rodas durante a aceleração ou quando o veículo começa a destracionar, em curvas acentuadas, controlando eletronicamente o torque do motor.

Repleta de novidades, a linha 2015 do Novo CrossFox passa a oferecer de série as rodas de liga leve 15 polegadas, sistema de som (RCD 320G), volante multifuncional revestido de couro, sistema Park Pilot (sensores de estacionamento dianteiro e traseiro), tapetes adicionais em carpete e a direção elétrica (Easy drive).

Outro recurso inédito é a possibilidade de equipar o Novo CrossFox com o sistema de som com navegação (RNS 315), o mesmo que equipa a linha Passat, CC e Tiguan. O RNS 315, na verdade, é uma central multimídia, pois conta com tela sensível ao toque de 5,5 polegadas, sistema Bluetooth integrado, receptor AM/FM com RDS, CD Player com MP3 e WMA e entrada auxiliar de áudio. Também possui um slot para SD-cards, que podem reproduzir mapas de navegação ou arquivos de música em formato MP3, por exemplo.

O novo CrossFox também pode ser equipado opcionalmente com o controlador de velocidade de cruzeiro (cruise control, “piloto automático”), faróis com sistema “coming & leaving home”, sensores crepuscular e de chuva, retrovisor interno eletrocrômico e luz de conversão estática nos faróis de neblina (“cornering light”).

Na lista de opcionais o maior destaque fica para o controle eletrônico de estabilidade (ESC, Electronic Stability Control), importante recurso de segurança. O sistema reconhece um estágio inicial de que uma situação de rodagem crítica esta para acontecer. Compara os comandos do motorista com as reações do veículo a este comando. Se necessário, o sistema reduz o torque do motor, freia uma ou várias rodas até atingir a condição de estabilidade.

Há, ainda, o teto solar elétrico e para as novas rodas de liga leve de 16 polegadas com pneus 195/55 R16, oferecida pela primeira vez na história do CrossFox.

Eletrônica avançada

O sistema ESC disponível para o Novo CrossFox traz uma inovação que incrementa sua capacidade fora de estrada. Trata-se da função Off-road, recurso que melhora a frenagem em estradas não pavimentadas. Ativado pelo botão off-road no painel, o software de controle do ABS e do ESC provoca ciclos de travamento da roda, criando uma pequena “cunha”, com o material do piso, à frente do pneu, o que ajuda a reduzir o espaço de frenagem nessas condições de piso “solto”.

O ESC traz outros recursos eletrônicos de assistência para o veículo, como o EDS (Elektronische Differenzialsperre) – Bloqueio eletrônico do diferencial. Em situação de baixa tração em uma das rodas motrizes, o bloqueio eletrônico do diferencial aciona o freio da roda com menor tração, transferindo o torque para a roda com maior tração, proporcionando assim melhor eficiência à saída do veículo. Esse sistema de “tração inteligente” funciona de forma automática, sem necessidade de o motorista acionar um botão no painel. Além disso, o sistema atua em curvas e em velocidade de até 80 km/h.

Há ainda o HHC (Hill Hold Control) ou controle de assistência de partida em rampa. Em aclives acima de 5%, o sistema mantém o veículo freado por até 2 segundos, após o motorista aliviar o pedal do freio. Os freios são liberados progressivamente durante a aceleração, permitindo a partida do veículo com mais conforto e tranquilidade em rampas.

O Novo CrossFox quando equipado com o ESC traz uma inovação no sistema de freios, o HBA, ou BAS (Brake Assist System ou Sistema de assistência à frenagem). O módulo do ABS e do ESC reconhece, por meio da velocidade e força de acionamento do pedal de freio, que se trata de uma condição de frenagem de emergência. Nesse momento, o sistema aumenta a pressão no circuito hidráulico e a força de atuação das pinças de freio, buscando a condição ideal de funcionamento do ABS para reduzir o espaço de frenagem.

Há, ainda, o ASR (Antriebsschlupfregelung) – Controle de tração. O sistema auxilia o motorista a arrancar ou acelerar o veículo sobre um piso de baixa aderência, graças a uma série de sensores e uma central eletrônica. O sistema atua gerenciando o torque motriz e a frenagem individual da roda que destraciona, auxiliando na aderência dos pneus em qualquer condição de utilização.

Itens relacionados (por tag)

  • 'Pendrive de iPhone' aumenta espaço de armazenamento em até 64 GB na CES

    Aumentar o espaço de armazenamento do iPhone é impossível via cartão microSD, mas existem soluções de armazenamento externo que podem te ajudar a resolver o problema. O pendrive iBridge, da Leef, é uma ótima opção, uma vez que estende a capacidade dos dispositivos Apple da forma mais discreta possível. O dispositivo estava CES 2015, em Las Vegas, e fomos conferir a novidade.
    O modelo mais barato é o de 16 GB, que custa US$ 59,99. O de 32 GB sai a US$ 79,99, enquanto o de 64 GB tem preço de US$ 119,99. Nos Estados Unidos, a versão de 16 GB do iPhone 6 custa US$ 649 e a de 64 GB, US$ 749.

    2015-01-10-iphone01
    Comparando os valores, percebe-se que o pendrive não é uma opção exatamente econômica. Na verdade, ele é mais uma solução para quem já comprou o gadget da Apple e percebeu que a memória foi insuficiente em algum momento, seja para guardar músicas, imagens ou outros arquivos.
    Apesar disso, ele apresenta algumas vantagens: ele conta com versões de até 256 GB (US$ 399,99), o que não é oferecido originalmente pela maçã. Além disso, seu aplicativo é capaz de suportar mais formatos de conteúdo multimídia do que o iOS faz de forma nativa. O gadget ainda está em pré-venda.

  • Uso intenso de smartphones provoca alteração no cérebro

    Usuários de smartphones têm cérebros "esculpidos" pelo uso repetido de toques nas telas

    A Utilização intensa de certos tipos de telefones celulares está provocando uma alteração no cérebro de usuários pela adaptação à nova atividade motora. A conclusão faz parte de um estudo feito pelo Instituto de Neuroinformática da Universidade de Zurique, que analisou as reações de um grupo de 37 voluntários.

    Segundo os pesquisadores, os cérebros dos usuários dos chamados smartphones estão sendo alterados pela operação repetida das telas de toque. Para medir a atividade cerebral do grupo, os cientistas utilizaram a técnica conhecida como eletroencefalografia ou EEG na sigla em inglês. Eles perceberam diferenças marcantes entre os usuários de smartphones e aqueles que utilizavam celulares "convencionais".

    Analisando os resultados do EEG, os cientistas concluíram que os usuários de smartphones demonstravam maior destreza no uso dos dedos. Dos 37 voluntários, 26 eram usuários de smartphones com telas de toque e 11 se mantinham fieis aos modelos mais antiquados de celulares.

    O teste de EEG monitorou os impulsos elétricos trocados entre o cérebro e as mãos dos indivíduos através dos nervos. A atividade foi monitorada por diversos eletrodos colocados no couro cabeludo de cada voluntário, capazes de captar esta troca de mensagens na forma sensorial.

    A partir dessas informações, os pesquisadores puderam criar um "mapa" que indica a porção do tecido cerebral dedicada à operação de uma determinada parte do corpo.

    Os resultados revelaram diferenças distintas entre os usuários de smartphones com telas de toque e os que usam telefones celulares convencionais. Os usuários de smartphones apresentaram maior atividade cerebral em resposta aos toques dados na tela dos aparelhos pelos dedos médio, polegar e indicador. E, aparentemente, isto está ligado à frequência com que se usa o smartphone - quanto mais frequente é o uso, maior é a resposta registrada pelo EEG.

    Segundo os cientistas, o resultado - publicado na revista científica Current Biology - faz sentido, uma vez que o cérebro é maleável e, portanto, pode ser moldado pela utilização prática repetidamente.

    Eles citam como exemplo os violinistas, que têm a área do cérebro dedicada ao controle dos dedos usados para tocar o instrumento maior do que a mesma área do cérebro de alguém que não toca violino.

    Os pesquisadores acreditam que o mesmo está acontecendo com os usuários de smartphone - eles estariam tendo seus cérebros "esculpidos" pelo uso repetido pelos toques nas telas dos aparelhos.

    Arko Ghosh, que liderou o grupo de pesquisadores da Universidade de Zurique, disse que ficou surpreso pela "escala das mudanças introduzidas (no cérebro) pelo uso de smartphones".

    Ele acrescentou que o estudo reforça a ideia de que a onipresença dos smartphones está tendo um grande efeito na nossa vida cotidiana.

  • Positivo S480,o novo concorrente do Moto G, chega forte.

    O Positivo S480 é, definitivamente, o melhor feito da fabricante brasileira no mundo dos smartphones. Em sua confecção, a Positivo tomou algumas boas decisões acertadas: acertou nos componentes internos, aceitou no Android “quase puro” e acertou ao colocá-lo nas prateleiras com ótimo custo-benefício. O S480, no entanto, não é perfeito, e enfrenta dura competição de queridinhos como o Moto G e o novato Zenfone 5, que oferecem bom desempenho a preço baixo de R$599,00.

    Design

    O S480 é um smartphone sóbrio. Ele é um carinha bonito, mas não é do tipo que chama a atenção por escolhas inovadoras de design. O S480, embora carregue uma razoável tela de 4,5 polegadas, não é um aparelho largo. Isso porque, mais ou menos como aconteceu com os iPhone 5 e iPhone 5S, a Positivo optou por “esticar” seu smartphone e poupar as laterais. No fim das contas, a pegada é ótima, apesar de às vezes gerar a sensação de que o aparelho é um pouco mais alto do que deveria. A vantagem? Ele é super confortável para se usar com uma só mão.

    Um ponto negativo do S480 é o aproveitamento das laterais. Num mercado em que a tendência é aproveitar cada espacinho criado e ocupá-lo por telas cada vez maiores, a Positivo deu uma escorregada. O smartphone, na parte frontal, tem duas grandes faixas subutilizadas na parte de cima e na de baixo. A inferior explica-se: foi lá que a fabricante colocou os botões capacitivos, sensíveis ao toque, em vez de posicioná-los na própria tela como uma parcela da concorrência faz.

    A tampa traseira do S480 é removível, e há três opções de cores para a troca: uma em preto fosco e duas metalizadas (uma prata e outra bordô). O encaixe dessas tampinhas é bom, mas não passa ao usuário a sensação de carregar um aparelhos de corpo único como vemos no Moto G, por exemplo.

    Um detalhe interessante: a faixa lateral "metálica" que envolve o celular é, na verdade, feita de plástico. O material imita uma espécie de aço escovado, uma estratégia que não é inédita no mercado e dá um visual mais interessante aos smartphones básicos e intermediários. Falando em visual, outro ponto positivo é o fato de as duas entradas de chip SIM e a de cartão de memória (o S480 aceita cartões microSD) estarem "escondidas" sob a tampa traseira, o que contribui para um visual mais clean.

    Desempenho

    Desempenho: eis o quesito que garante uma boa nota em custo-benefício para o aparelho. A Positivo fez boas escolhas tanto para hardware quanto para software, o que gera um desempenho satisfatório mesmo rodando jogos pesados.
    O S480 carrega a versão 4.4 KitKat do Android. Com o lançamento do Android 5.0 Lollipop, ela deixou de ser a mais atual (e a mais bonita também), mas tem a vantagem de ser leve e rodar bem mesmo em dispositivos mais modestos. Dito isso, há outro ponto a ser considerado e que garante um celular bacana: a Positivo fez pouquíssimas mudanças no Android original, deixando-o praticamente "puro".
    saiba mais
    Confira o review completo do novo Moto G
    Leia a análise do Zenfone 5, da Asus
    Conheça o app que promete melhorar o desempenho do Android
    A opção pelo Android "puro", com poucas modificações de interface e próximo do que o Google planejou ao desenvolver o sistema, geralmente garante um aparelho mais leve e livre daquelas personalizações e funcionalidades extras incluídas pelas fabricantes. E o S480 é um bom exemplo disso: ele tem toda a "carinha" do Android original, mais ou menos como vemos nos aparelhos Nexus e nos smartphones atuais da Motorola.
    Como nem tudo é perfeito, a Positivo inclui, sim, algumas pequenas modificações. Há alguns demos de joguinhos da Gameloft, o Opera Mini pré-instalado e o antivírus McAfee. Fora isso, há novidades como uma central de notificações mais recheada, por exemplo, mas nada que torne o sistema irreconhecível.
    Em relação ao hardware, o S480 conta com um processador MediaTek. Trata-se de um quad-core de 1,3 GHz, que vem acompanhado de 1 GB de RAM. Completam as especificações os 8 GB de memória interna, que podem ser expandidos via cartão microSD.
    Durante os nossos testes, o S480 apresentou um desempenho bastante justo. Ele deu umas leves engasgadas aqui e ali, mas rodou bem a maior parte dos aplicativos testados - e a lista inclui jogos mais pesados, como Asphalt 8: Airborne. Ele não tem desempenho comparável aos grandes tops do mercado, mas também não faz feio. É aquele clássico: para quem quer ler e-mails, navegar na Internet e acessar redes sociais, ele é mais do que suficiente.

    Tela

    No quesito tela, o S480 acertou nas cores, no contraste, no brilho... E abriu mão de uma boa resolução da tela. O celular, com sua tela de 4,5 polegadas, carrega uma resolução de 480 x 854 pixels, inferior à de boa parte da concorrência. O Moto G, por exemplo, tem tela HD (720 x 1280 pixels), assim como o Zenfone 5.

    O que isso quer dizer na prática? É possível enxergar os pixels, aqueles pequenos quadradinhos que compõem a tela, a olho nu com certa facilidade. Isso só se torna realmente um problema na hora de ler textos com fontes pequenas ou para enxergar detalhes de uma foto, por exemplo. Por outro lado, a tela do S480 tem a vantagem de ser IPS LCD e garantir bons ângulos de visão.
    Câmera

    Se a Positivo economizou na tela, ela até que fez bonito na câmera. O sensor e lentes do S480 são fabricados pela Sony, o que já dá a garantia de obter imagens do mínimo razoáveis. A câmera tem 8 megapixels de resolução, e vem acompanhada por um flash LED duplo, que dá conta do recado.

    Durante nossos testes, tivemos ótimos resultados em cliques sob luz natural. Em ambientes internos, a câmera não se saiu tão bem, apresentando imagens desfocadas ou muito escuras no modo automático. Vale lembrar que estamos falando de um smartphone de R$ 599, o que gera um custo-benefício neste quesito bastante surpreendente.

    Custo-benefício

    Falando em custo-benefício, é inegável que esse é mesmo o ponto forte do S480. Para se equiparar à concorrência e atrair o consumidor para a marca nacional, a Positivo colocou preços bem agressivos no modelo. Com preço sugerido de R$ 599 no kit com as duas capinhas extras, o Positivo S480 escorrega aqui e ali, como na tela de baixa resolução e no design "careta", mas tem suas vantagens inegáveis.
    Para os dispostos a dar uma chance, nos nossos testes chegamos à conclusão de que o Positivo S480 vale o que custa. É um aparelho justo a um preço justo e, embora não seja a melhor opção na sua faixa de preço, deve ser levado em consideração pelo consumidor.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.