Pacientes transplantados podem perder órgãos por falta de medicamento no nordeste

Pacientes transplantados podem perder órgãos por falta de medicamento no nordeste

Moradores da periferia do Recife estão tendo dificuldades para acessar medicamentos utilizados para tratar seus rins transplantados e temem voltar para a máquina de hemodiálise. Em documentos obtidos pelo GLOBO, junto com as secretarias estaduais da saúde, revelam que desde o início do ano, o sistema federal de distribuição de remédios vem passando por uma crise de desabastecimento, afetando os transplantados.De 134 drogas que são distribuídas pelo Ministério da Saúde, 25 já estão com estoques zerados, sendo que pelo menos quatro são para atender trasplantados, para evitar que o órgão seja rejeitado pelo organismo.No último ano, 141 pacientes tiveram rejeição aguda ao órgão recebido por falta de medicamentos, apenas em São Paulo, de acordo com dados do Hospital do Rim. Segundo associações que atendem a transplantados, ao menos três órgãos já foram perdidos em Recife e dez em São Paulo.A ação movida pelo MPF alerta o Ministério da Saúde sobre o “risco catastrófico de morte para milhares de pacientes transplantados”. No dia 9 de abril de 2019, o juiz federal Paulo Cezar Duran determinou que o ministério resolva o problema. Em nota, o ministério afirmou que “mantém todos os esforços necessários ao cumprimento da decisão judicial”.

About Author

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.