Imprimir esta página
Osmar Terra critica produções sem público e propõe mudar Lei Rouanet

Osmar Terra critica produções sem público e propõe mudar Lei Rouanet

Depois de provocar a demissão do Secretário Especial de Cultura (clique aqui), após cancelar um edital voltado para produções de temática LGBTQ+, o ministro da Cidadania, Osmar Terra, pretende implementar mais uma política controversa.


De acordo com informações da coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo, o Ministério da Cidadania, onde pasta da Cultura está inserida, já discute a alteração de leis de incentivo como a Rouanet, para que o investimento repassado a produções cinematográfica seja oferecido como um financiamento, cujo valor deve ser devolvido ao Estado.


“O que não pode é criar uma indústria [cultural] e transformar todo mundo em funcionário público. Terem incentivo, viverem só disso e não terem público [que veja as obras]”, argumentou Osmar Terra, afirmando que a devolução se daria através do que fosse arrecadado da bilheteria.


Nesta quinta-feira (22), o ministro já havia falado sobre o assunto em um evento para empresários, em São Paulo.  “Temos bons filmes. Mas cinco, de 171, têm bilheteria. O cinema tem que buscar público. Não pode ser uma coisa só autoral, feita para a turminha do cineasta gostar já que o dinheiro dele está garantido”, disse.


O ministro rebateu ainda a crítica feita pelo ex-secretário especial de Cultura, Henrique Pires, que acusou o governo de censura, com relação ao cancelamento do edital voltado para produções LGBTQ+, e afirmou que Terra havia mudado, porque antes “era extremamente democrático, mas virou a chave”.


“Não virei chave nenhuma. Sempre estive no mesmo lugar e pensei da mesma maneira. Ninguém pode dizer o contrário. Só quem está sendo demitido”, disse o ministro da Cidadania.

About Author